Meu coração é uma máquina de arritmias sentimentais - Bruna Tschaffon


Olá leitoras e leitores, tudo bem? Há algum tempo atrás recebi da Bruna Tschaffon alguns poemas do livro Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais, o primeiro ebook dela, que conta com 54 poemas. Confira a sinopse: 

Sinopse: Os cinquenta e quatro poemas deste livro foram frutos de todas as peripécias sentimentais de um coração que, ora acelera em arrebatamento, ora se tranquiliza em calmaria. O leitor é convidado a mergulhar nos batimentos e participar da montanha-russa emocional.

A Bruna disponibilizou 4 poemas lindos pra falarmos um pouco sobre eles, então vou contar para vocês quais foram as minhas impressões.

Quando era criança e comecei a ser incentivada a ler, uma das coisas que mais gostava era poesia. Adorava como as palavras se pareciam e misturavam formando rimas e me apresentando histórias incríveis. Em certo momento até me arrisquei a escrever algumas, mas graças a Deus que ninguém viu rsrsrsrs.

Infelizmente, com o passar do tempo deixei de buscar poemas e poesias para ler, mas quando tinha a oportunidade, passei a perceber o quão profundas elas eram, Quando se é criança e se lê poesias, elas parecem tão leves e divertidas, tão puras. Quando se cresce, ao ler um poema, você começa a perceber o quanto o autor se coloca em cada verso, como cada dor é sentida, como cada alegria é compartilhada e como cada história contada ali te faz lembrar um pouquinho de você..

Ler os poemas da Bruna me fez sentir. Consegui me encontrar em alguns de seus versos, a ponto de acreditar se tratarem de uma mensagem para o que estava sentindo. Obrigada Bruna, por me trazer de volta ao mundo dos poemas e poesias.



O poema a cima, Ostra, foi o que mais gostei. Ele passa a ideia de que precisamos ser fortes mesmo que as pessoas se esforcem para nos fazer desistir. Ele representa o momento atual da minha vida e confirmou o que todo mundo que me apoia disse. Não devemos deixar nada nem ninguém nos abalar , temos que seguir em frente sempre.

Antes de encerrar, a Bruna respondeu algumas perguntas pro Projeto Apoie um Nacional. Confira a entrevista:


1-) O livro Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais é seu primeiro livro? Quando começou a escrever poesias e por que?                  R:Sim, é o meu primeiro livro lançado. Na realidade, eu terminei de escrever "Lítio" antes, mas "Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais" foi publicado antes.

2-) Não sei se te perguntam muito isso, mas você prefere escrever quando está feliz ou triste? Uma decepção amorosa, profissional, te faz escrever melhor?                                                                                                      R: Eu costumo escrever com mais facilidade quando estou triste, porque sinto que tenho muito para extravasar. O lado bom é que a minha arte sempre me serve de refúgio e consolo. Mas tento não condicionar minha escrita a essa sensação, senão eu nunca poderia ser uma escritora feliz! ahahahaha

3-) Hoje em dia não encontramos mais tantas pessoas interessadas em poesia, ainda mais em escrevê-las. Como é a sua relação com esse tipo de escrita? Com quantos anos começou a escrever, quais seus autores favoritos e quais os poemas que mais gosta?                                           R: Eu comecei a escrever poemas aos oito anos, durante uma aula no colégio e desde então não parei mais. A poesia permite que eu expresse meus sentimentos com liberdade e facilidade, é muito diferente de seguir a estrutura de um romance. Meus poetas prediletos são: Edgar Allan Poe, Sylvia Plath, Charles Bukowski, Augusto dos Anjos e Mário Quintana. Meus poemas prediletos são Annabel Lee, do Edgar Allan Poe, Roll the Dice e Bluebird do Bukowski e Lady Lazarus da Sylvia Plath. 

4-) Quais são os maiores desafios que você vem encontrando como escritora e quem são seus maiores apoiadores?                                               R:Como escritora, meus maiores desafios tem sido manter uma constância produtiva e conciliar minha rotina de pós-graduação e estudo pra concursos com a redação semanal de algumas páginas. É um balanço difícil e muito exigente. Praticamente todas as minhas horas livres são gastas na divulgação do meu trabalho ou escrevendo/idealizando novos livros. Meus maiores apoiadores são a minha família (minha mãe sempre é a primeira a ler meus textos!) e meus amigos. 

5-) Seu segundo livro, Lítio, será lançado agora em abril, correto? Como foi escrever este livro e quais suas expectativas com o lançamento?                R: Sim, "Lítio" será lançado dia 29 de abril. Bom, esse livro é meu primeiro romance e eu o escrevi dos 16 aos 21 anos. Demorou bastante porque demandou muito de mim emocionalmente e eu ainda não tinha experiência alguma, mas me dediquei ao máximo e dei cem por cento do que eu tinha pra dar nessa narrativa. No meu segundo romance, já finalizado, eu consegui terminar bem mais rápido e fazer ajustes. Acho que estou amadurecendo a cada novo projeto. Quanto às expectativas pro lançamento, acho que eu só quero aproveitar e rever meus amigos, pois acabei me distanciando de muitos por falta de tempo. Quero celebrar com eles a recompensa depois de tanto sacrifício. 

6-) Conte-nos um pouco sobre a sua história: Onde nasceu, quantos anos tem, quais sonhos ainda pretende realizar?
REu nasci em 1º junho de 1992, em Niterói, no Rio de Janeiro. Tenho 23 anos. Faço pós, estudo pra concursos na área jurídica, sou formada em Direito pela UFF, escrevo pra coluna Prosa pro café no jornal Folha do Rio de Janeiro e dou aulas pros adolescentes na escola dominical da igreja que frequento. Meu sonho é conseguir uma boa profissional (tanto na área jurídica quanto na literária), continuar a escrever livros e fazer do mundo um lugar melhor. 

Bruna, obrigada pelo carinho e confiança. Sucesso para você nesse novo lançamento!

Nenhum comentário

Postar um comentário