Hey, Panda, vamos fugir? - Ivan Bittencourt Jr.


Livro: Hey, Panda, vamos fugir?
Autor: Ivan Bittencourt Jr
ISBN-13: 9789895179596
ISBN-10: 9895179596
Ano: 2015 / Páginas: 192
Idioma: português
Editora: Chiado Editora
Nota: ★★★★

Hey, Panda, vamos fugir? É o novo lançamento do autor Ivan Bittencourt Jr.

Neste livro conhecemos Théo, um jovem rapaz que sofre de IAS - Introversão Altamente Sensível.

Ele é um garoto tímido, que não interage muito com as pessoas, mas, de repente, se vê apaixonado pela menina da foto. A panda que fez sua vida mudar.

A @marinaapanda é uma menina bonita, que sonha em ser modelo, e tem um canal no YouTube. Super descolada, arrebata o coração do nosso protagonista na primeira vista.

O relacionamento do dois começa muito rápido. Mesmo em meio às reflexões malucas de Théo, os dois começam a conversar pelo Facebook, e quando veem, já estão namorando.

Na era da tecnologia as coisas giram muito rápido mesmo, e este livro é todo pautado nessa nova geração e nas interações via redes sociais.

Théo é viciado no Twitter e inicia um blog quase ao mesmo tempo em que conhece Marina. Ele faz de seu blog um diário, escrevendo ali seus pensamentos e momentos vividos com a namorada e amigos.

A maneira como o livro foi escrito e diagramado foi uma grande sacada do autor. O livro não é feito apenas com narrativas e diálogos. Podemos observar 3 tipos de formatação, que dão um toque todo especial à obra, tornando mais interativo, separando os textos escritos no blog, no Twitter, e a trama em si, cada um com uma letra e estrutura.

Percebi que este é um livro mais voltado para o público jovem. O romance entre os protagonistas é bem leve e fluído. 

Para mim, pareceu que tudo ocorreu muito rápido e superficial. O garoto vê a foto da menina na internet, se apaixona, eles começam a conversar e no próximo minuto já estão falando eu te amo um pro outro.

Eu, particularmente, achei o envolvimento dos dois muito rápido. Gosto de relações mais aprofundadas e menos melosas. O Théo é apegado pra caramba! Até acabou me lembrando algumas amigas que são bem...intensas, eu diria.

Tem gente que sente mais mesmo. Sou mais dura com relação a sentimentos e acabo achando todo mundo que se apega e surta assim muito estranho, mas acontece, então temos que respeitar, afinal, se cada um sente de um jeito, como podemos determinar qual é a maneira certa de sentir?

Acho que esses sentimentos à flor da pele são típicos de adolescentes então decidi relevar essa rapidez, levando em conta o contexto da história, mesmo achando muuuuuito estranho. 

Outro ponto legal surge quando o autor coloca outros personagens como amigos dos protagonistas, inserindo cenas cristãs na trama, que me parecem fazer parte da vida do próprio autor dando um toque pessoal na história, deixando a marca da escrita de Ivan.

No decorrer da história, nos deparamos com problemas típicos enfrentados por adolescentes: problemas com os pais, vestibular, faculdade, sonhos e amor, tudo envolvido pelas reflexões, às vezes exageradas, de Théo.

Durante toda o livro convivemos com um típico amor de verão. Aquele rápido e marcante, que se baseia na esperança e no amor, puro e simples.

No final, chegamos a questionar se esses amores de verão duram para sempre, e se depende de nós mantê-lo vivo ou esquecê-lo. Qual a sua aposta?

Como eu disse, é um livro bem gracinha. Com uma escrita voltada para o público jovem, numa linguagem mais informal, que nos deixa com vontade de ler o livro todo de uma vez só.

Uma ótima indicação para os leitores mais novinhos e/ou que estão iniciando no mundo da leitura agora.

O Ivan é parceiro do blog, e super indico o trabalho dele. Vocês podem segui-lo nas redes sociais e no nosso perfil para ficar por dentro de tudo o que surge de novo sobre ele.

Vamos apoiar a literatura nacional, galera!

Espero que gostem,

Carol.

Nenhum comentário

Postar um comentário