O quarto dia - Sarah Lotz


Livro: O Quarto Dia
Autora: Sarah Lotz
ISBN-13: 9788580415384 
ISBN-10: 8580415381
Ano: 2016 / Páginas: 352
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Nota: 

Sinopse: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis...


Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.


As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. 

Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.


Vou começar com a principal. O navio está fodido e, oficialmente, estamos a deriva em alguns lugar no golfo do México. É, você leu direito, ou vai ler quando eu conseguir postar isso...E o motivo para eu não ter feito contato? Passei mal. O tipo de mal do estômago que faz você implorar aos deuses para tirarem sua vida. - pág. 83

O navio Belo Sonhador faz parte da frota marítima da companhia Foveros, que infelizmente, não tem uma reputação muito boa com seus cruzeiros.

No quarto dia de sua viagem, o navio para, devido a um incêndio. É aqui que as coisas começam a ficar estranhas. Primeiro, não há nenhum sinal de comunicação. Depois, as pessoas começam a ficar doentes devido a um noroviros. Em terceiro lugar, os tripulantes começam a ver fantasmas em vários lugares da embarcação. 

Não bastasse tudo isso, uma grande tempestade arrebata o navio. 

Quando o encontram, 5 dias depois, não há nenhum sobrevivente no navio. Dos 2.964 passageiros e tripulantes, apenas dois foram encontrados dentro da embarcação, mortos.

O que faz milhares de pessoas desaparecerem assim, do nada, sem deixar pistas? Não sei explicar, mas não pode ser nada humano.

Corra agora, Maddie. É hora de se mexer. Você ainda não viu nada. Isso foi só o aperitivo. O prato principal vai ferrar com a porra da sua cabeça. - pág. 282

Este é o segundo livro que leio da Sarah Lotz  e bem, posso dizer que ela tem um padrão.

Quando li Os Três, fiquei muito empolgada com a leitura. Terror não é bem a minha praia, mas quando vi aquela capa maravilhosa, não tive como resistir e acabei lendo. 

Contrariando algumas opiniões, achei o livro bem legal e pensei que também iria curtir O quarto dia. Mas não foi bem assim.

O livro é muito bom, até chegar nas páginas finais. Há durante a história um quê de terror psicológico que te faz acreditar na trama, mas o final ficou confuso e preguiçoso.

Em Os Três, fiquei o livro inteiro tentando descobrir o que tinha acontecido com o avião. Se era ataque terrorista, extraterrestres ou espíritos, e pelo final daquele já sabia o que esperar deste. Inclusive, quase no final, há um trecho bem parecido ao do primeiro livro:

Ela me disse o que era...Contou que um dia fora igual a nós...Que eles tinham feito isso antes. Inúmeras vezes. Falou que eles fariam isso de novo. - pág. 340
Se você leu Os três, sabe do que estou falando. Em O quarto dia, é a mesma coisa, só que a história é um pouco mais viajada e confusa. 

O que acontece quando o navio volta a funcionar e o que as pessoas vêem, poderia ter sido muito mais explorada. Isso sim daria muito medo, porém acabou ficando muito corrido e deixou algumas pontas soltas.

Esperava bem mais deste livro, contudo, a premissa é boa e rende algumas partes bacanas a história.

Pelo final, deu pra perceber que as próximas obras dela, mesmo que ela diga que não é uma continuação, seguirão o mesmo conceito das duas primeiras. 

Vamos aguardar e ver o que mais ela escreverá.

Este foi mais um livro resenhado pela parceria com a #EditoraArqueiro. 

Espero que tenham gostado. 

Mil beijos.
*~ 

2 comentários

  1. Olá! Tudo bom?
    A minha experiência com esse livro não foi legal a ponto de eu não querer ler mais outro da autora. O Quarto tem uma premissa muito interessante, que me deixou muito empolgado, mas que me trouxe decepção. Achei arrastado, por isso cansativo, o final realmente é confuso e aqueles depoimentos desnecessários. Enfim, não deu pra mim.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente te entendo, Diego. Ela poderia ter explorado tão melhor o livro, mas apostou em escrever sobre partes não tão interessantes assim. Estou com o pé atrás com a autora. Vai ser difícil ler outro livro dela.

      Abraços.

      Excluir