O primeiro dia do resto da nossa vida - Kate Eberlen


Livro: O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida
Autora: Kate Eberlen
ISBN-13: 9788580416213
ISBN-10: 8580416213
Ano: 2016 / Páginas: 432
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Nota: ★★★★

Você acredita em destino? Acredita que uma coisa acontecerá, mesmo que as circunstâncias da vida nos leve para caminhos diferentes do que eram para acontecer?

O primeiro dia do resto da nossa vida é sobre destino. Sobre como duas pessoas são perfeitas uma para a outra, e como a vida acontece, mesmo sem a gente querer.

Marcados por perdas, ambos seguem suas vidas com um sentimento de incompletude latente.se encontrar.

Com uma escrita um pouco massante, Kate Eberlen vem nos contar a história de Tess e Gus, duas pessoas com vidas bem diferentes e ao mesmo tempo iguais.

Passamos o tempo inteiro nos dividindo entre a narrativa de Tess e Gus, que nos mostram um pouco de suas vidas, ansiando pelo provável momento em que vão 

Tive a impressão de que os personagens ficam o tempo todo no automático. Parece que o tempo todo eles estão anestesiados. Eles apenas seguem o fluxo das coisas, deixando acontecer, e não correndo atrás do que desejam.

O livro nos mostra como as pessoas passam por nossas vidas, mesmo que rapidamente, e quais efeitos elas causam na gente com essa passagem.

O tempo aqui também é relativo. Ao mesmo tempo em que se passam anos na história, percebemos o valor que um segundo carrega. Como  um olhar é importante. Como uma vida inteira não é capaz de separar o que foi feito para ficar junto.

Confesso que foi uma leitura bem difícil, no sentido de ser cansativa. A expectativa do encontro dos personagens te deixam ansiosa, e a narrativa, mais descritiva do que dialogal, faz parecer que tudo demora uma eternidade para desenrolar.

E realmente demora.

Entretanto, a forma como a autora aborda a passagem de um personagem na vida do outro, é bem sutil, fazendo com que o leitor se pergunte em vários momentos se ambos estavam no mesmo lugar ao mesmo tempo, se as coisas teriam sido diferentes se tivessem se encontrado em outro momento, se isso já aconteceu consigo em algum momento na realidade e se a metade da sua laranja era aquele moço da fila do supermercado ou o estranho do outro lado da rua.

O sofrimento e a luta diária de cada um dos protagonistas é um capítulo a parte. Tess assume muito nova responsabilidades de mãe, vendo seus planos para a universidade irem para cada vez mais longe. Já Gus, não consegue superar a perda do irmão, que acaba abalando seu relacionamento com os pais lhe envolvendo em um relacionamento improvável de longos anos.

Eu pensei desde o momento em que botei o olho no livro, que o final seria um pouco diferente. Li a obra com os dois pés atrás, pois a história me lembrou a de Uma curva no tempo, e se você segue o blog, sabe que a detestei, mas, num saldo geral, apesar de achar que a leitura não fluía e que nunca ia acabar, a história termina bem.

Acredito que a autora poderia ter desenvolvido um pouco mais a fundo os capítulos finais, mas essa história não precisa muito de razão para ser compreendida, afinal, o futuro não nos pertence.

Se eles ficaram juntos ou não no final? Só lendo para descobrir.

Esse foi mais um romance levinho publicado pela nossa parceira, Arqueiro, a maior editora que você respeita! (e ama ♥)

Carol.

Nenhum comentário

Postar um comentário